exames

GastromotiLab tem o prazer em oferecer aos nossos clientes o que tem de mais moderno e completo na área diagnóstica em Doenças Funcionais do Aparelho Digestivo. Conheça um pouco mais sobre os exames realizados no nosso laboratório.  

Estudo de halitose

 

O Estudo de Halitose tem como seu objetivo principal de confirmar e quantificar a halitose referida pelo paciente, excluindo assim, a sua subjetividade. Tem um papel fundamental na elaboração de protocolos para seu tratamento e seu acompanhamento. O exame é indolor e não invasivo. O Estudo de Halitose é realizado por seguintes etapas:

  • Halimetria: é um aparelho com sensor que mede a concentrção de CSV (Compostos Sulfurados Voláteis - causadores de odor) da boca, das narinas e do pulmão (através do ar expirado).

  • Sialometria; é um exame para medir a quantidade de saliva produzida num determinado intervalo de tempo. A medição de fluxo salivar é fundamental para determinar a causa de halitose.

  • Teste da Cisteína: o substrato Cisteína é metabolizado por micro-organismos anaeróbios Gram negativos e como resultado final há a produção de CSV causadores de odor. O teste positivo confirma a colonização da boca quando ocorre a elevação da concentração dos CSV após o bochecho com a solução de Cisteína.

  • Exame da cavidade oral: observa-se alterações da morfologia da língua e detecta a presença de Biofilme (saburra) lingual.

Manometria esofágica computadorizada convencional

É um exame que tem por finalidade estudar a contração e a coordenação de movimentos do esôfago. À partir das medidas de pressões dentro da luz esofágica, identificamos as alterações da sua motilidade. E também é realizado para identificar a posição precisa de onde se deve colocar a sonda de phmetria esofágica de 24 horas.

Como é feito o exame?

O exame é realizado inicialmente com o paciente sentado e acordado (pois é necessária a sua colaboração) e uma sonda fina é introduzida lentamente em uma das narinas e posicionada no esôfago. Caso necessário, pode ser oferecida uma pequena quantidade de água para facilitar a passagem da sonda. Durante a passagem da sonda, é natural que o paciente apresente incômodo na garganta, náuseas, que normalmente pode cessar assim que ela é posicionada no esôfago.

O paciente, então, é colocado na posição deitada e inicia-se o exame que tem duração aproximadamente de 20 minutos.

 

Manometria esofágica de alta resolução
 

É uma variante da manometria convencional e  resultado da evolução tecnológica e do desenvolvimento de sistema mais sofisticado. O programa de análise da manometria de alta resolução é capaz de criar um mapa através de contornos isobáricos codificados por cor em tempo real substituindo tradicionais gráficos da manometria convencional. Assim o sistema possibilita a visualização de diferentes pressōes pela escala de cores e permite novas interpretaçōes do comportamento da motilidade esofágica. Esse exame favorece maior conforto ao paciente devido à redução no tempo de execução e sem necessidade de mover o cateter. Está indicado principalmente nos casos de distúrbio de motilidade do esôfago como acalásia, , obstrução ao nível da junção esofagogástrica, ausência de contratilidade esofágica, espasmo esofágico distal, hipocontratilidade esofágica e motilidade esofágica ineficaz.

Como é feito o exame?

O exame é realizado inicialmente com o paciente sentado e acordado (pois é necessária a sua colaboração) e uma sonda fina é introduzida lentamente em uma das narinas e posicionada no esôfago. Caso necessário, pode ser oferecida uma pequena quantidade de água para facilitar a passagem da sonda. Durante a passagem da sonda, é natural que o paciente apresente incômodo na garganta, náuseas, que normalmente pode cessar assim que ela é posicionada no esôfago.

O paciente, então, é colocado na posição deitada e inicia-se o exame com 10 deglutiçōes de água sem necessidade de mover a sonda.  O exame tem duração aproximadamente de 10 minutos.

Phmetria esofágica de 24 horas

 

A phmetria esofágica de 24 horas tem sido considerada um dos maiores 

avanços no diagnóstico da Doença do Refluxo Gastro-Esofágico dos últimos anos, tendo em vista sua objetividade em determinar a presença e a intensidade do refluxo ácido, correlacionando este aos sintomas do paciente.

 

Como é feito o exame ?

 

Uma sonda fina é introduzida lentamente em uma das narinas e posicionada no esôfago. A sonda é fixada no rosto com micropore por trás da orelha e outro eletrodo de referência é preso no tórax. E ambos são conectados a um aparelho portátil (gravador) por cerca de 24 horas.

O paciente receberá um diário no qual registrará os horários de suas refeições, os horários em que estiver deitado e os horários de seus sintomas. Durante esse exame o paciente deverá realizar todas as suas atividades diárias (todas as rotinas normais), a fim de que o resultado seja o mais preciso e “real” possível.

 

Impedancio-phmetria esofágica de 24 horas

 

O diagnóstico da Doença do Refluxo Gastro-Esofágico (DRGE) tem evoluído muito nos últimos anos com a introdução da phmetria esofágica de 24 horas. No entanto, este método mostrou-se limitado, uma vez que, com a ampla utilização de medicamentos chamados de anti-secretores pela população surgiram um grupo de pacientes com a persistência de sintomas típicos e/ou atípicos da DRGE apesar do tratamento adequado.

A impedancio-phmetria esofágica foi introduzida exatamente para auxiliar no diagnóstico nesses casos de refluxo “não ácido” ou “fracamente ácido”. Portanto, é um método diagnóstico que representa um progresso em relação à phmetria esofágica convencional e atualmente é considerado como o exame mais avaçado e preciso na detecção da DRGE.

 

Como é feito o exame ?

 

Uma sonda fina é introduzida lentamente em uma da narinas e posicionada no esôfago. A sonda é fixada no rosto com micropore por trás da orelha e conectada a um aparelho portátil (gravador) por cerca de 24 horas.

O paciente receberá um diário no qual registrará os horários de suas refeições, os horários em que estiver deitado e os horários de seus sintomas. Durante esse exame o paciente deverá realizar todas as suas atividades diárias (todas as rotinas normais), a fim de que o resultado seja o mais preciso e “real” possível.

Teste respiratório de H2 (Hidrogênio)

 

As queixas como sensação de gases, distensão abdominal, desconforto abdominal, diarreia após a ingestão de certos alimentos são muito comuns no consultório de gastroenterologista. Muitas vezes esses quadros são tratados subjetivamente sem ter um diagnóstico mais adequado.
Nos dias de hoje, há um método simples e não invasivo que auxilia no seu diagnóstico de maneira precisa para traçar um plano adequado de tratamento.

O teste respiratório de H2 (Hidrogênio) é utilizado para o diagnóstico de :

 

  • Intolerância à Lactose,

  • Intolerância à Frutose,

  • Intolerância à Sacarose,

  • Intolerância à Sorbitol,

  • Intolerância à Xylose (para diagnóstico de enteropatia),

  • Supercrescimento bacteriano no intestino delgado (SIBO).

Esse teste está fundamentado no fato em que o carboidrato não digerido (por ex. a Lactose) passa ao intestino grosso onde a ação de bactérias causa a liberação de H2 que é absorvido pelas paredes do intestino e dissolvido na corrente sanguínea. O gás dissolvido é lançado nos pulmões através das veias capilares que circundam os alvéolos e é então expirado. Uma concentração aumentada do H2 expirado após a ingestão da Lactose caracteriza a má absorção de lactose.

O teste é realizado após a ingestão de substrato a ser pesquisado misturado em 1 copo da'gua e o ar expirado (soprado) é medido pelo aparelho para obter a quantidade de gás Hidrogênio, de maneira seriada, a cada 20 minutos ou a cada 1 hora por 2 ou 3 horas.

IMG_E7122_edited_edited.jpg
Manometria anorretal computadorizada convencional
                                               &
Manometria anorretal de alta resolução

 

Trata-se de um exame para avaliar as pressões da musculatura em região anal (esfincter anal), a sensibilidade da região anorretal e desordens de evacuação. Essa avaliação é de grande importância para elucidação diagnóstica e tratamento de pacientes com constipação intestinal, incontinência fecal (perda involuntária de fezes), dor anal, fissura anal e entre outras patologias.

 

Como é feito o exame?

 

Uma sonda fina é introduzida no canal anal com uso de gel ou vaselina. Esta sonda possui pequenos canais por onde a água destilada é perfundida e através desse processo é possível medir a pressão e a sensibilidade da região anorretal. O exame dura em média  10-20 minutos. O exame é indolor e

é realizado com o paciente acordado, pois é necessária a sua colaboração.

 

IMG_7120_edited_edited.jpg
 Tempo de Trânsito Colônico

 

A medição de Tempo de Trânsito Colônico através de marcadores radiopacos (tempo decorrido após a ingestão da cápsula com marcadores radiopacos até a sua eliminação pelas fezes) é um método simples e eficaz para auxiliar no diagnóstico de constipação intestinal. Dessa maneira é possível diferenciar distúrbios da hipomotilidade dos colons (inércia colônica) dos distúrbios da defecação (obstrução de saída - "outlet obstruction").

 

Como é feito o exame?

 

O paciente ingere uma cápsula com 24 marcadores radiopacos e realiza-se Raio-X de abdome simples no terceiro, quinto e sétimo dia após a ingestão da cápsula. E as imagens são analisadas pelo nosso médico especialista.